segunda-feira, 7 de abril de 2014

JOSEPH GLEBER: Você conhece esse espírito?






Nasceu na cidade de Hoffenbach, no dia 15 de agosto de 1904. Era filho de judeus e, por isso, encontrou muitas dificuldades para fazer os primiros anos de estudo, devido ao imenso preconceito reinante e à fireza com a qual era tratado, embora tnha nascido em território alemão. Depois de muito trabalho, de muita luta dedicou-se com afinco aos estudos, transferindo-se posteriormente para a capital. No Instituto de Física da Alemanha fez o curso superior, graduandose em Física Em sguida viajou para viena, onde aprefeicoou-se na Universidade de Viena. Ainda na capital austríaca, aproveitou o tempo para estudar Medicina, o que lhe foi de imenso proveito, pois sabia, por intuição, que mais trde iria enfrentar grandes lutas em seu país, sendo um judeu nascido na Alemanha e poderia beneficiar outras pssoas com o seu conhecimnto a respeito da saúde e das enfermidades
Na cidade de Viena após longa prmanência, enamorou-se de uma jovem, igualmente filha de judeus comerciantes da cidade austríaca, cujo nom era Herta Mislooy, nascida em Salzburg, na Ústria casandose com ela, vltou para a Alemanha indo morar em Berlim, onde passou a trabalhar na Medicina e a lecionar Física em comunidades judaicas , principalmente para aueles mais pobres, atendendo gratuitamente em sua atividade médica. Em 1935 teve um filho, Rudolph e outro m 1936, d nome Kleine, qundo a saúde de sua esposa veio a requerer maiores cuidados de sua parte. Passado o transtorno, pode, em seguida, manter um longo contato com Enrico Fermi, cintista italiano que lhe possibilitou um maior aprofundamento em pesquisas atômicas junto com alguns cientistas que realizaram na época, pesquisas nessa área. Logo após esse período, em consequência dos estudos realizados em Viena e das muitas publicações que fizera em boletins  especializados de épocae, prinipalmente, dos estudos realizados sob orientação de Albert Einstein e d outros cientistas de então, Joseph Glebr foi solicitado pelo Governo da alemanha para ingressar na Equip de física do Governo, pois seu conhecimnto era tal que despertava admiração nosfísicos e estudiosos alemães. Logo no início da guerra, foram confinados em campos de estudos e laboratórios completos, que lhes foram dados para que desenvolvessem estudos de aperfeçoamente de combustíveis que seriam utilizados pelos alemães. O doutor Joseph Gleber não sabia que esses combustíveis sriam usados nas destruidoras bombas voadoras, desenvolvidas por outro físico, que espalharam muito sangue na Inglaterra, fazendo sofrer mutidões de vidas inocentes.
Os alemães eram muito desconfiados e dividiam seu trabalho  em equipes, coisa natural em tempo de guerra. Por essas pesquisas eram realizadas por partes e apenas os que estavam no comando, ou diretamnte ligados a ele, podiam juntar as partes pesquisadas e chegar ao seu término, com produto final. Isso se dava em todas as áreas, conforme nos relata nosso irmão Joseph.
Após a ofensiva na Inglaterra, os cientistas foram trocados de lugar, pois alguns deles estavam ilhados sem muito contato com o resto do Comando Supremo. Foram todos orientados para desenvolver estudos  e experiências, manipulando dados que lhes dariam subsídios para a criação da bomba atômica, pois,  aquela época já se sabia muito sobre o assunto O Governo alemão indicou pessoas de sua confiança, alguns cientistas como Joseph Gleber, Oppenheimer, e outros físicos para realizarem as experiências necessárias para a construção de uma bomba nuclear, visando uma possível vitória sobre os outros países, para submetê-los ao seu domíno tirano.
Segundo o Dr. Joseph, ele percebeu a tempo o que se passava e as consequências, se caso ele trabalhasse nesse projeto. Então ele resolveu: não terminaria a parte que lhe foi confiada, adiaria ao maximo o projeto que lhe correspondia. Muito embora os outros cientistas alemães já houvessem terminado a sua parte, de nda adiantava, pois dependiam dos estudos do Dr. Joseph Gleber, que nunca os terminava.  Falanos o amigo Joseph Gleber:"Oppennheimer já terminara aquilo que lhe fora confiado nos estudos e experiências relativas à bomba; Von Brown, há muito adiantando em seus estudos, unira-se com outros cientistas a fim de mais rapidamente promovr o poderio Alemão. Entre companheiros terminaram os testes e desenvolveram a sua parte, conforme foram solicitados, e eu, apenas atrasava a minha parte, por chegar à conclusão de que não deveria participar desse projto terrível. Foi qundo o Alto escalão do Governo resolveu-me cobrar a parte confiada, pois, sem la, não poderiam concretizar os planos da bomba atômica, e então descobriram que eu estivera protelando este tempo todo, justamente para adiar o resultado, até que houvesse alguma interferência para impedir os desvarios do Comando Suprmo da Alemanha. Sem as minhas pesquisas, ficariam impossibilitdos de qualquer realização na área atômica A minha decisão fora tomada após muitas lutas íntimas, pois eu sabia quais riscos eu correria. Não somente eu, mas também minha família. Após meditar muito, recorrer aos valores morais aduirids em anos de lutas e dificuldades interiores, não hesitei Prferi sacrificar a mim e aos meus, a sentir na consciência o peso da destruição de milhões de vidas inocentes que sucumberiam,caso a Alemanha tivesse o domínio da bomba atômica."
Continuando, o amigo espiritual falou-nos:
" E assim, no dia 13 de abril de 1942, fui levado com minha mulher e meus dois filhos, para dentro de um forno crematório e fomos todos creados vivos. Até hoje me alegro por ter tomado esta decisão e pude constatar que foi graças a ela, que o poder do 3ºReich não logrou seus intentos em muitas de suas iniciativas. Com certeza, os Imortais, que dirigem o nosso mundo, confiaram em nós e por essa confiançae convicção de meu espírito quanto aos valores eternos, continuei dest lado a trabalhar para que meus irmãos pudessem compreender e valorizr a vida sob qualqur forma que ela se manifeste,com apoio da providência. tenho certeza qu aquilo u realizei foi indicado pelos amigos do mais Alto e, assim sendo, fomos convidados para promover o setudo e o trabalho que auxiliem nas tarefas as quais nos dedicamos"
Este lindo texto é uma reprodução das páginas10 a13 do livro "Medicina da Alma" pela psicografia de Robson Pinheiro e pelo Espírito do Dr. Joseph Gleiner e nos mostra como um Grande Espírito age quando encarnado, sempre agindo segundo as leis crísticas. Que nos sirva de exemplo!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário