quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Lei de Trabalho de prisioneiros- Templos do Amanhecer









Lei do Trabalho de Prisioneiros - Templos do Amanhecer




O Presidente do Templo externo, fica por mim designado como único responsável, no Templo sob a sua regência, a promover a prisão e a libertação dos mediuns, devendo para tanto, possuir condições de atender aos critérios abaixo relacionados:

1- O templo deverá ter entre o corpo mediúnico um mínimo de:

(03) Três 5º Yurês

(14) Quatorze Nunfas Lua

(03) Três Ninfas Sol

(01) Um Mestre do turno Aganaros

Uma ou duas representantes da Condessa Natanhy

Uma ou duas representantes de Koatay 108 ( Yurici Lua)

(01) Uma Ninfa Cigana Aganara

(01) Uma Ninfa Cigana Tagana

(02) Duas Ninfas Sol Yurici


Observação:

Atualmente quando for designado por um Mestre representante do

cavaleiro da lança vermelha, deverá ele obrigatoriamente compor o

quadro do presente trabalho.


Observações finais

2.1 O prisioneiro não deve ficar menos de sete(7) ou mais de 15( quinze) dias na prisão.

2.2 As atacas deve ser confeccionadas no templo Externo, devendo ser do mesmo modelo das que se usam no templo-Mãe, sob plena responsabilidade do Mestre Presidente.

2.3 A Ninfa prisioneira não deve assumir com o uniforme branco

2.4 Não se deve pedir bônus com cadernos inadequados.

2.5 O número mínimo de bônus para a libertação deverá ser de 2.000

2.6 Os bônus podem ser adquiridos dentro e fora do templo. sendo que , dentro do templo somente até antes da abertura dos Trabalhos.

2.7 Valor dos Bônus por participação por participação nos setores dos trabalhos do Templo são: mesa Evangélica, Defumação, Cura e Linha de passes: 300 Bônus por cada participação em um desses setores. Junção, Induçãoe Randy: 500 Bônus por cada participação em um desses setores.

2.8 Mestre prisioneiro, que por razões especiais (viagens demoradas, doença, etc.) necessitar ser libertado antes do ARAMÊ, o mestre Presidente deverá providenciar a sua libertação na Pira, junto a um Mestre aganaros e uma ninfa Sol Yurici (ver: Libertação Especial")

2.9 Logo após a libertação os mestres Doutrinadores entregam as Atacas, e as Ninfas tiram o exê e o Sudaro, guardando para outras prisões.

2.10 O prisioneiro para obter Bônus deve se anodizar com sal e perfume, fazendo uma breve mentalização.

2.11 Mestre Lua em hipótese alguma pode trabalhar onde exija a incorporação de sofredores, pois tão se torne prisioneiro é ionizado por uma força especial. Se der passagem ao espíritosofredor, este pode permanecer sa sua aura dificultando sua vida e até podendo se tornar prisioneiro do próprio médium.

2.12 Mestre prisioneiro deve se resguardar de certas tiranias e malcriações porque se torna perigoso, devendo fazer tudo para não baixar seu padrão vibratório.

2.13 Os Mestres devem usar suas atacas e as ninfas o Exê e o Sudaro, pois estas lhes dão condições de serem reconhecidos pelos velhos cobradores e facilitam a ajuda dos Cavaleiros e Guias Missionárias. Não se esquecer que neste Trabalho estará dando oportunidade de receber seus inimigos. O prisioneiro de Pai Seta Branca, devia se chamar:" CAPTADOR DE INIMIGOS".

2.14 O medium que tiver seu Cavaleiro ou Guia Missionária, terá mais facilidade na roupagem de prisioneiro, pois com a especilaidade desses grandiosos Mestres, de usarem suas redes magnéticas, resguardam os prisioneiros das cobranças milenares, aliviando assim problemas mais sérios nesta atual roupagem, evitando de ficarem irradiados com o conseguente atraso de vida, provocado por um espírito que pode inclusive, levá-lo ao crime.

2.15 O prisioneiro tem que meditar com amor, não só nas vidas passadas, mas também, continuar buscando seus objetivos desta vida, seus erros e fracassos. Consciência, com muito amor, sempre com sua mente voltada para o sue cavaleiro (ou sua Guia), lembrando sempre que nada acontece sem uma razão.

2.16 Devido a prisão ser um trabalho muito sério, absolutamente quero o medium prisioneiro por outros meios, a não ser pela minha Clarividência ou pelo Mestre Presidente. A voz da prisão partindo de uma Entidade , corre o grande risco de uma interferência. As p´roprias Entidades se abstém de dar voz de prisão.

2.17 Nos trabalhos de SESSÂO BRANCA e ANGICAL, o prisioneiro está liberado por 24 horas, devendo usar o uniforme prórpio para cada trabalho, não podendo neste dia obter bônus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário